Secretário de Indústria e Comércio pede que projeto da Feira da Coruja não seja votado durante a pandemia

 Secretário de Indústria e Comércio pede que projeto da Feira da Coruja não seja votado durante a pandemia

Alex Batista dos Santos, o Alex Formiguinha, secretário de Indústria e Comércio de Tobias Barreto, pediu, em pronunciamento feito na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara de Vereadores, que a proposta que visa alterar o dia da Feira da Coruja não seja votada enquanto perdurar a pandemia. Segundo o secretário, várias cidades estão decretando o fechamento das atividades comerciais como medida para enfrentar a pandemia de COVID-19 e que Tobias Barreto luta para manter o comércio aberto.

 

“Eu quero pedir a esta casa que a gente reveja que esse momento não é propício para a gente definir, numa pandemia, qualquer coisa importante como a Feira da Coruja. Nós temos que vestir a mesma camisa. Não é a camisa da quarta, não é a camisa da quinta, não é a camisa do domingo e não é a camisa da segunda e, sim, uma camisa que deixe nosso comércio aberto”, ponderou o secretário, salientado que este também é o pensamento do prefeito, Dilson de Agripino (Cidadania/SE).

“A administração não quer fechar o comércio. Ela quer ampliar o comércio para que possamos dividir. Nós temos clientes na quarta e quinta, no domingo e na segunda, para que tenhamos duas feiras e dividir o público”, continuou Alex reforçando que durante a pandemia a concentração apenas em um dia pode provocar aglomeração. “… Se só tiver um dia para você ir para aquele lugar é lógico que vai aglomerar e expandir o COVID-19”, disse.

O presidente da CCJC, vereador Júnior Cisneiros, após exibição de vídeo do médico João Ribeiro a despeito da situação pandêmica da região, agradeceu pela recomendação do secretário. “Espero que todos acatem e solicito que a nossa diretoria possa colher informações, mais uma vez, solicitar via ofício, tanto dos funcionários que querem a mudança da feira somente para quarta-feira que nos envie o relatório para que possa ser avaliado e solicito também, do representante dos comerciários, na pessoa de Marcos Andrade, que tragam essa pesquisa para que nós possamos analisar, e solicito, já aqui, de forma verbal e presencial, que o senhor possa nos trazer o relatório de impacto socioeconômico”, enalteceu o presidente, dirigindo-se ao secretário.

“Não vamos parar. Repito: não irei fazer a retirada do projeto. Não irei. Mas, irei respeitar o momento em que estamos vivendo e, principalmente respeitar as vidas. Acho que devemos sair daqui, se possível, a busca do gestor público municipal, da secretária de saúde, Angélica, para que ela possa nos mostrar um plano de ação contra esse momento tão difícil que estamos vivendo”, assegurou o presidente. A análise do projeto ficará no aguardo da documentação e será retomada assim que esse momento difícil passar, disse Júnior Cisneiros.

Nossa equipe entrevistou o vereador Elbert Santos Oliveira, o popular Neguita (MDB/SE), que já havia se declarado favorável ao projeto.

Reportagem: Acompanhando as sessões da CCJC da Câmara, numa delas o senhor pediu para relatar o futuro projeto de lei. Por qual motivo o interesse em relatar a questão? O senhor acredita que os demais vereadores apoiarão o pedido do senhor?

Vereador Neguita: Isso, solicitei ao presidente da CCJ, Vereador Júnior Cisneiro, para me conceber relator desse Projeto de Lei. Solicitei por ter certeza que o Projeto discutido será de extrema importância para o princípio de renovação, melhorias, atualização, aprimoramento, direcionado aos empregados, que vivem uma “Escravidão Mordena“. Sobre os colegas vereadores, não posso falar por eles, mas acredito que estão pensando qual será a melhor opção. Nesse caso, me ausento em responder por eles.

Reportagem: Há alguma pressão por parte do empresariado para postergar a análise da proposta?

Vereador Neguita: Nenhuma! Durante a minha campanha eleitoral, uma das minhas propostas de campanha foi o mandato participativo, onde o eleitorado participa diretamente em questões, ações, ideias e sugestões durante o meu mandato. Então pensando dessa forma e cumprindo a minha proposta de campanha, lancei uma enquete popular para saber qual é a opinião da população perante esse projeto e o resultado seria a minha posição na Câmara de Vereadores. O resultado foi que a maioria são a favor da mudança, então esse será o meu posicionamento.

Reportagem: O senhor já se declarou favorável ao projeto. As declarações das partes ouvidas até agora corroboram para ratificar seu voto?

Vereador Neguita: Sim, a maioria são a favor da mudança da Titularidade da Feira da Coruja, tendo em vista que o Projeto sofrerá alterações devido à artigos que estão inconstitucionais, mas o que o projeto trata especificamente é na adequação de meses e dias. Os meses de maio, novembro e nos dois primeiros domingos dos meses de junho e dezembro, as feiras serão realizadas aos domingos, já nos outros meses, será nas quartas-feiras.

Reportagem: Na comissão falou-se sobre a possibilidade de um referendo. Na análise do senhor, tal alternativa é a mais viável?

Vereador Neguita: Foi comentado pelo presidente da CCJC, a possibilidade de um plebiscito. Eu acredito na eficácia do projeto, mas se a maioria dos vereadores decidirem o plebiscito, poderá ser uma maneira viável, mas que o plebiscito seja apenas para as partes envolvidas.

Reportagem: Por que apenas com as partes envolvidas?

Vereador Neguita: Porque são os envolvidos. Só podemos conhecer a realidade quando se convive com ela. Uma avaliação de quem está de fora, poderá prejudicar o intuito principal do que está sendo discutido, debatido.

Reportagem: O empresário e presidente do SindcomTB, Marcos Andrade, em sua participação na tribuna da Casa Legislativa, comentou a despeito de uma pesquisa que foi encomendada pelo Fecomércio. Comente a despeito disso.

Vereador Neguita: Sim, o mesmo comentou em sua participação verbal no plenário, mas ficou de apresentar a veracidade e resultados na próxima sessão (terça-feira 01/06/2021).

Reportagem: O senhor espera que a pesquisa constate o que, para o senhor, já está claro?

Vereador Neguita: Primeiro a veracidade das informações, empresa participante, e público alvo.

Reportagem: Acredita que o projeto será retirado de pauta?

Vereador Neguita: Não!

Reportagem: Pois bem, ao termino das minha indagações, há algo que o senhor queira acrescentar?

Vereador Neguita: Sinto-me prestigiado em participar dessa entrevista e solicito a fidelidade nas minhas palavras.

 

Por José Bráulio 

 

Posts Relacionados