Saúde: como a Nutrição pode ajudar pacientes com doenças autoimunes

 Saúde: como a Nutrição pode ajudar pacientes com doenças autoimunes

No mês de agosto, especificamente no dia 30, foi celebrado o Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla. Ela faz parte das doenças consideradas autoimunes, caracterizadas pela resposta do sistema imunológico contra o próprio organismo, em que há destruição de células saudáveis pelo sistema imune. De acordo com a professora do curso de Nutrição da Universidade Tiradentes, Talita Kizzy Barbosa Barreto, algumas dessas doenças podem necessitar de um cardápio nutricional específico.

“Em algumas doenças autoimunes podemos perceber uma melhora significativa do quadro do paciente, quando há intervenção dietética. Por exemplo, Doença de Addison e Lúpus Eritematoso são doenças que têm intervenção alimentar específica”, relata Talita. Sobre a Esclerose Múltipla, ela explica que as evidências científicas mostram que ela é uma doença complexa com etiologia multifatorial, causada pela combinação de fatores genéticos e ambientais e que atualmente, não existe consenso de qual a dieta que poderá impedir a progressão da doença.

A professora reitera que o papel da dieta e da suplementação nutricional está sendo cada vez mais estudado a fim de melhorar a qualidade de vida dos pacientes, aliviando a sintomatologia. “Aumentar a quantidade de gorduras poli-insaturadas (como ômega 3 e ômega 6), peixes ou suplementos pode ajudar. Também observa-se a suplementação de antioxidantes como Vitamina E e Vitamina A para auxílio no controle do processo inflamatório”.

“É necessária a diminuição dos alimentos que podem influenciar no aumento das inflamações. Em relação ao sódio, especialmente nos pacientes com edemas, deve haver uma restrição. Ainda para os pacientes devemos observar a adequação dos minerais e das vitaminas. Também é importante manter uma segurança energética, pois estes pacientes tendem a manter uma facilidade para perder o peso. Para alguns tipos de doenças, como Lúpus e Doença de Addison, pode ser observado também um ganho de peso por causa das modificações metabólicas. Por isso, o acompanhamento nutricional desses pacientes com um nutricionista é muito importante”.

Assessoria de Imprensa | Unit

Posts Relacionados