Maternidade e pandemia: como conciliar os desafios e o retorno ao trabalho

 Maternidade e pandemia: como conciliar os desafios e o retorno ao trabalho

A jornalista Ingrid Seeman descobriu a gravidez de Francisco durante a pandemia do novo coronavírus. Diante de tantos os desafios provocados pelo momento, Ingrid buscou respostas para tantos questionamentos. Como conciliar a atuação profissional, a gestação e atrelado a isso, todos os cuidados e proteção contra a Covid-19.

“Quando descobri que estava grávida me perguntava como seriam os próximos meses ou como ficaria o trabalho. Foi difícil, mas para minha surpresa surgiram outros trabalhos como jornalista. O universo conspira, tudo se ajeita”, comenta Ingrid que, atualmente, trabalha como produtora de vídeo na Universidade Tiradentes.

“No momento inicial, tudo é muito confuso, mas acreditem, no decorrer do tempo, fica mais tranquilo principalmente porque a vacinação contra a Covid-19 está a todo vapor. Enquanto as coisas não ‘se normalizam’ façam coisas prazerosas e curtam a gestação”, acrescenta.

Segundo a jornalista, a pandemia e a maternidade trouxeram ensinamentos. “Aprendi a ter muita paciência, respirar, pensar mais, e entender que de fato é um dia de cada vez. Somos mais fortes do que pensamos, não nascemos com manual de instruções, mas temos intuição e isso nos guia. Só aprende vivendo, a vida é para quem tem coragem”, garante.

“Eu já não saía de casa antes da gestação e, depois que descobri, é que não saía mesmo. Uma mistura de medo e incerteza, querendo me proteger e proteger a nova vida que crescia dentro de mim”, complementa.

Após o nascimento de Francisco, Ingrid também enfrentou outros obstáculos. “Antes de ser mãe já tinha ouvido falar em rede de apoio para diversas situações, mas esse termo nunca fez tanto sentido depois de maternar. Sem uma rede de apoio é impossível conciliar Ingrid profissional e Ingrid mãe”, enfatiza. Antes de retornar da licença-maternidade, a jornalista realizou alguns trabalhos extras neste período.

“A rede de apoio é formada por pessoas com quem você pode contar para te ajudar com seu filho, seja pai, mãe, amiga, funcionária, berçário, irmã, tia, enfim, as pessoas com quem você pode compartilhar essa caminhada que é a maternidade”, destaca.

“Imagine ser mãe, profissional, esposa e amiga. É muita coisa, mas essa jornada, mesmo que muitas vezes difícil, é uma delícia. Somos heroínas só de estar de pé. A jornada é tripla, mas o amor de uma mãe é lindo e trabalhar com o que gosta também”, assegura.

“Obviamente que queremos dar conta de tudo, ser melhores em tudo, mas temos que lidar que ‘por hoje’ fizemos que foi possível. Cada maternidade e cada pessoa é única, então se permita experimentar, errar, acertar e ficar confortável com o que te faz bem”, finaliza.

 

Assessoria de Imprensa | Unit

Posts Relacionados