Dia da Independência tem cerimônia no Palácio da Alvorada em Brasília

 Dia da Independência tem cerimônia no Palácio da Alvorada em Brasília

As celebrações não contarão com o tradicional desfile militar

As celebrações pelo Dia da Independência não terão o tradicional desfile militar na Esplanada dos Ministérios. Em tempos de pandemia de covid-19, a data será comemorada com uma cerimônia de hasteamento da bandeira nacional no Palácio da Alvorada, partir das 9h, com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

O início da cerimônia será com chegada de 18 paraquedistas, que pousarão no Palácio da Alvorada para entregar, ao presidente, a bandeira brasileira. Em seguida será executado o Hino Nacional, para o hasteamento da bandeira, seguido de uma salva de 21 tiros de canhão.

Ao final da cerimônia, a Esquadrilha da Fumaça fará uma apresentação nos céus da capital federal.

 

Edição: Kelly Oliveira

Independência do Brasil,Pedro Américo,Gravuras, imagens antigas,independência.

Na semana entre 5 e 11 de setembro, o Hoje é Dia destaca a celebração de 199 anos da Independência do Brasil e os 20 anos do atentado às Torres Gêmeas do complexo empresarial do World Trade Center, em Nova York. A semana também traz o aniversário da Rádio MEC, uma das mais antigas emissoras de rádio em operação no Brasil, e que é um veículo da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Abrindo a semana, no domingo (5) é celebrado o Dia Internacional da Mulher Indígena. A comemoração foi instituída em memória da indígena Aymará Bartolina Siza Maturana, que lutou contra os colonizadores espanhóis na região da atual Bolívia, em 1781. E até hoje, há mulheres indígenas com protagonismo entre os povos originários: no ano passado, a TV Brasil contou a história da Cacique Pequena, do povo Jenipapo-Kanindé, que é primeira mulher a comandar uma tribo indígena da América Latina.

O presidente Jair Bolsonaro participa de cerimônia comemorativa do 7 de Setembro, no Palácio da Alvorada.

Independência

Há 199 anos, no dia 7 de setembro, às margens do rio Ipiranga, Dom Pedro proclamou a Independência do Brasil. Em 2020, a Agência Brasil publicou uma série de reportagens sobre os acontecimentos anteriores e posteriores ao famoso grito de “Independência ou morte”.
Na primeira reportagem, historiadores listam as reviravoltas que rodeiam o 7 de Setembro. Na segunda reportagem, como a Revolução do Porto, em Portugal, teve impacto na declaração de independência do Brasil. Por fim, a terceira reportagem destrincha os papéis de Dom Pedro I e dona Leopoldina neste processo.

Cerimônia comemorativa do 7 de Setembro, no Palácio da Alvorada.

Na Trilha da História, programa das rádios EBC, também dedica vários programas sobre este fato histórico. Um deles fala sobre o que aconteceu no Brasil após o grito no Ipiranga: as batalhas para expulsar os últimos portugueses do território baiano e a Guerra da Independência. Na Bahia, este processo só terminaria no ano seguinte. Outro episódio fala sobre José Bonifácio de Andrada e Silva, um dos responsáveis por articular a independência do Brasil. E o episódio abaixo traz bastidores e eventos históricos que levaram o Brasil a se declarar livre de Portugal:

A TV Brasil veiculou, em 2019, uma série especial de reportagens sobre como foi a viagem de Dom Pedro até o rio Ipiranga. A primeira matéria pode ser assistida abaixo, e a lista completa está disponível no site da emissora:

O dia 7 de setembro também é uma data importante para a EBC por marcar o aniversário de 98 anos da Rádio MEC. Nesta data, em 1923, foi feita a primeira transmissão de rádio da antiga Rádio Sociedade. Também em um 7 de setembro, mas de 1936, a pioneira emissora seria doada ao Ministério da Educação, e se tornaria a Rádio Ministério da Educação e Cultura (Rádio MEC), no ar até os dias de hoje.

O “11 de setembro”

O dia 10 de setembro é um dia importante dentro do Setembro Amarelo. É o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio – data que surge por iniciativa da Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio, em parceria com a Organização Mundial da Saúde, que conta com o apoio de organizações de prevenção ao comportamento suicida em todo o mundo.

WORLD TRADE CENTER BURNS.
Hoje é Dia – WORLD TRADE CENTER BURNS. – REUTERS/Jeff Christensen/Direitos reservados

A semana termina com uma data marcante para a história: em 11 de setembro será lembrado os 20 anos dos ataques terroristas nos Estados Unidos. Nesses ataques, dois aviões bateram nas Torres Gêmeas do complexo empresarial do World Trade Center, localizadas em Nova York. Um terceiro avião colidiu contra o Pentágono, a sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, e a quarta aeronave caiu em um campo aberto próximo de Shanksville, na Pensilvânia. Todos os ataques foram coordenados pela organização fundamentalista islâmica Al Qaeda. Em 2019, o Revista Brasil conversou com um especialista em relações internacionais sobre o que mudou no mundo depois dos ataques. Ouça:

Comissão Especial dos Mortos e Desaparecidos responsabiliza o governo brasileiro pelas mortes dos guerrilheiros comunistas Carlos Lamarca, Carlos Marighella e José Campos Barreto e determina uma indenização às suas famílias (25 anos)

Ataque às Torres Gêmeas, do complexo empresarial do World Trade Center, na cidade de Nova York (20 anos) – atentado conhecido como Ataques de 11 de setembro de 2001 (ou, internacionalmente, 9/11), quando, em ataques suicidas, dois aviões colidiram contra as torres do World Trade Center. Um terceiro avião colidiu contra o Pentágono, a sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, e a quarta aeronave caiu em um campo aberto próximo de Shanksville, na Pensilvânia. Todos os ataques foram coordenados pela organização fundamentalista islâmica Al Qaeda

Inaugurado o Memorial e Museu Nacional do 11 de Setembro, no décimo aniversário dos Ataques de 11 de setembro (dez anos) –  localizado onde ficavam as torres do World Trade Center em Nova York, Estados Unidos, destruídas nos ataques de 11 de setembro de 2001

Dia Nacional do Cerrado

 

*com produção de Simone Magalhães e Rebeca Guillardi

Posts Relacionados