CHAPA BELIVALDO E ELIANE SERÁ JULGADA PELO TSE, NO DIA 09

 CHAPA BELIVALDO E ELIANE SERÁ JULGADA PELO TSE, NO DIA 09

Não há como negar que o assunto que norteará o centro de todas as rodas políticas em Sergipe, nos próximos dias, será o julgamento pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da chapa vitoriosa em 2018, do governador Belivaldo Chagas (PSD) e da vice-governadora Eliane Aquino (PT). Assim que veio a confirmação de que o processo entrou na pauta da sessão da próxima terça-feira (9), logo percebeu-se uma movimentação intensa nas redes sociais, com muitas especulações e projeções.

 Até então havia uma dúvida se o julgamento se iniciaria ou não ainda este ano, antes do recesso do Poder Judiciário; havia quem entendesse que o processo só entraria na pauta do TSE no próximo ano. É bom frisar, com o compromisso com a verdade junto aos leitores, que o fato de o julgamento iniciar na próxima semana não quer dizer que o mesmo estará concluso ainda este ano. É natural que a defesa da chapa faça sua argumentação dentro do limite legal constitucional, sem pressa para a tramitação.

Mas estamos diante de um julgamento que tanto poderá ser favorável ao governador e sua vice, como também poderá mudar completamente o jogo eleitoral em Sergipe. Nada (ou quase nada) evoluirá do ponto de vista das definições eleitorais para o próximo ano até que o resultado deste julgamento esteja consumado. As conversas já iniciadas, as conjecturas formuladas sobre o futuro político do nosso Estado passam pela decisão da Suprema Corte Eleitoral.

 O fato é que se for absolvida a chapa, mesmo sem ser candidato em 2022, o governador Belivaldo Chagas estará, politicamente, fortalecido e com totais condições de liderar sua própria sucessão. Por sua vez, se for derrotada a chapa, a tramitação natural passa por uma mudança no comando do Estado e, consequentemente, nas tratativas visando as eleições do próximo ano. A depender do resultado desse julgamento, os principais atores políticos, até então cotados para a disputa, podem ser substituídos.

É o cenário passando por uma profunda “mutação” a depender da direção que for dada ao comando do Estado. Mas nunca é demais anunciar: não existe momento mais adequado para que o governador possa medir o comportamento e a fidelidade dentro do seu próprio agrupamento. Mesmo que seja absolvido da denúncia do MPF, não estarão descartadas rupturas políticas. É um momento de instabilidade que vai requerer boa defesa, estratégia e sapiência política.

 Até a próxima terça-feira a sociedade sergipana se deparará com uma série de especulações e conjecturas. Em síntese, tudo pode poderá acontecer aqui no Estado, politicamente falando, após esse julgamento, inclusive nada! É esperar o voto do relator do processo e não antecipar os fatos. Esse é o compromisso que deve ser assumido com a verdade e a boa informação. Até porque, independente de questões políticas, é o futuro de Sergipe que estará em discussão a partir da próxima semana…

Veja essa!

 O procurador-geral do Ministério Público de Contas (MPC), Luís Alberto Meneses, será empossado no cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE) nesta quinta-feira (4), às 10h30, em sessão solene no plenário do órgão. Escolhido pelo governador Belivaldo Chagas em lista tríplice composta por membros do parquet de Contas, o futuro conselheiro teve sua indicação aprovada na Assembleia Legislativa (Alese), após passar por sabatina.

E essa!

 Já a nomeação foi feita pelo governador no último dia 21, em ato no gabinete do conselheiro-presidente do TCE, Luiz Augusto Ribeiro. “A chegada do Dr. Luís Alberto Meneses ao colegiado representa um momento histórico para esta Casa, já que pela primeira vez teremos um conselheiro escolhido entre os procuradores do Ministério Público de Contas; além disso, o colegiado ganhará um novo membro extremamente qualificado”, ressalta o presidente do TCE.

Posts Relacionados