Canal Xingó pretende levar água para o sertão e amenizar efeitos da seca

 Canal Xingó pretende levar água para o sertão e amenizar efeitos da seca

Projeto deve ficar pronto em 6 meses e licitação da obra é prevista para este ano

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, esteve em Sergipe nesta sexta-feira (23) para a assinatura da ordem de serviço que autoriza o início do primeiro trecho do Canal de Xingó, empreendimento que pretende levar água do rio São Francisco para o sertão sergipano e amenizar os efeitos da seca na região.

A solenidade teve a participação do diretor-presidente da Codevasf, Marcelo Moreira, e do superintendente regional da Codevasf em Sergipe, Marcos Alves Filho, e de parlamentares da bancada federal sergipana. O deputado federal Laércio Oliveira recepcionou o ministro Rogério Marinho no aeroporto de Aracaju.

A ordem de serviço refere-se à elaboração do projeto executivo dos primeiros 50 quilômetros do Canal de Xingó, correspondentes ao Lote I da Fase I. A Fase I é dividida em duas partes (Lotes I e II) e tem extensão total de 114 quilômetros, com captação no Reservatório de Paulo Afonso IV e extensão até o local do antigo Reservatório R-5, em Poço Redondo (SE). Essa fase permitirá usos múltiplos da água nos municípios de Paulo Afonso e Santa Brígida, no estado da Bahia, e Canindé do São Francisco e Poço Redondo, no estado de Sergipe.

 

Na solenidade, o ministro Rogério Marinho ressaltou o compromisso do governo federal com Sergipe e com a região Nordeste.

“O governo quer enfrentar os problemas da região com obras estruturantes, que promovam segurança hídrica. São ações que nos permitem sonhar com dias melhores, pois o desenvolvimento só ocorre em plenitude com acesso à água de qualidade. Esse projeto executivo é o primeiro passo para tornar real o Canal de Xingó”, afirmou.

De acordo com o diretor-presidente da Codevasf, Marcelo Moreira, a previsão é de que o projeto seja concluído em seis meses, com isso, a obra poderá ser licitada ainda este ano. “Esperamos retornar a Sergipe nesse período para anunciarmos essa ação e trazer esperança para os sergipanos”, disse Moreira.

O projeto

O Canal de Xingó terá extensão total de aproximadamente 300 quilômetros e será dividido em quatro fases. As fases II a IV alcançarão os municípios de Porto da Folha, Monte Alegre de Sergipe e Nossa Senhora da Glória, em Sergipe. Para abastecimento humano, haverá oferta de água aos municípios baianos de Paulo Afonso e Santa Brígida, bem como reforço à rede de abastecimento do estado de Sergipe, com benefícios diretos e indiretos, na Bahia e em Sergipe, a cerca de três milhões de pessoas.

Além de ampliar a oferta de água para consumo humano, o canal promoverá desenvolvimento econômico associado a atividades produtivas em ramos como agricultura, agroindústria e pecuária (com rebanhos de bovinos, caprinos e ovinos). O canal deverá beneficiar, por exemplo, os projetos de irrigação Santa Brígida / Paulo Afonso, Manoel Dionísio, Califórnia e Jacaré-Curituba, além de dezenas de projetos de assentamento situados em sua área de influência.

Segundo a Codevasf o objetivo do projeto é contribuir para o desenvolvimento da região, por meio da agricultura irrigada; da elevação da produção e da produtividade das safras agrícolas, gerando renda, aumento da oferta de alimentos e propiciando a abertura de empregos diretos e indiretos.

Para o superintendente regional da Codevasf em Sergipe, Marcos Alves Filho, o Canal de Xingó vai provocar um impacto positivo que deve permanecer durante várias gerações. “Essa é uma ação que não apenas mata a sede do ribeirinho, mas traz dignidade para as pessoas”, disse.

O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, destacou que a obra une mais uma vez a Bahia a Sergipe. “São 300km ao todo, uma obra grandiosa que vai trazer um benefício histórico no abastecimento de água para o povo sertanejo, tanto para o consumo humano quanto para a agricultura”, disse.

 

Edição de texto: Monica Pinto

Posts Relacionados