Aplicativo para avaliação do condicionamento físico em idosos é disponibilizado gratuitamente para Android  

 Aplicativo para avaliação do condicionamento físico em idosos é disponibilizado gratuitamente para Android   

O envelhecimento populacional já é uma realidade em todo o mundo. Para se ter uma ideia, o Brasil já ultrapassou a marca de 30 milhões de idosos. Em 2012, por exemplo, esse número era de 25,4 milhões. O crescimento desse grupo etário tem se tornado cada vez mais representativo no país.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil, em 2016, tinha a quinta maior população idosa do mundo, e, em 2030, o número de idosos ultrapassará o total de crianças entre zero e 14 anos. Em um patamar mundial, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que o número de pessoas com idade superior a 60 anos chegará a 2 bilhões até 2050, representando, assim, um quinto da população mundial.

Entre os diversos fatores que contribuem para o aumento da expectativa de vida estão a melhoria nas condições de saúde, hábitos saudáveis e prática de atividade física.

“A população idosa cresce exponencialmente no nosso país e no mundo. As relações do exercício físico com o envelhecimento saudável e o bem-estar dessa população já foram bem estabelecidas”, comenta o coordenador do Laboratório de Biociências da Motricidade Humana (LABIMH) da Universidade Tiradentes (Unit), professor doutor Estélio Dantas. O pesquisador atua no Programa de Pós-graduação em Saúde e Ambiente (PSA) da Unit e realiza estudos com idosos há mais de 20 anos.

“Avaliar se o nível de condicionamento físico de um idoso está muito bom, bom, regular ou insuficiente é um fator importante para a saúde pública”, explica o docente, que é vinculado à Rede Internacional de Motricidade Humana. Desde 2018, a Unit, por meio do LABIMH, vem desenvolvendo pesquisas voltadas à população idosa, entre eles o Projeto Masterfitts. O Laboratório é vinculado ao PSA.

Após vários estudos, o LABIMH criou, validou e construiu um aplicativo, para Android, de um Instrumento para a avaliação do Índice de Condicionamento Físico de Idosos. Recentemente, o app recebeu o registro de patente no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (Inpi).

“Partindo da avaliação da composição corporal, da resistência aeróbica, da resistência muscular localizada, da força muscular e da flexibilidade, toda feita de forma simples e com instrumentos de fácil obtenção, o aplicativo possibilita o estabelecimento de um Índice de Condicionamento Físico de Idosos e sua respectiva categorização de acordo com critérios de adequação. A ideia do aplicativo foi, portanto, disponibilizar em uma forma segura, simples e confiável essa função”, enfatiza Estélio.

Para a instituição de ensino e para o programa de pós-graduação, a conquista é bastante relevante. “Uma universidade deve, necessariamente, estar comprometida com o ensino, a pesquisa e a extensão. No tocante à pesquisa, ela deverá ser capaz de disponibilizar tecnologias capazes de atender às necessidades da comunidade, por meio da inovação”, destaca o pesquisador.

“A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) avalia o PSA, em grande parte, em função de sua produção científica: artigos, livros e patentes. O aplicativo entra nessa última categoria, sendo, portanto, potencialmente capaz de manter ou melhorar o conceito cinco do Programa”, finaliza.

O aplicativo já está disponível na Play Store por meio do link https://play.google.com/store/apps/details?id=io.ionic.onEnterprise.

 

Assessoria de Imprensa | Unit

Posts Relacionados